Para fins de melhorar a sua experiência, este site usa atualmente cookies. Eu Compreendo
Página Inicial
<   DEZEMBRO 2019   >
SEG TER QUA QUI SEX SAB DOM
1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31 1 2 3 4 5

Ordem quer saber quantos nutricionistas existem no SNS

Ordem quer saber quantos nutricionistas existem no SNS
08 de Julho de 2019

Ordem dos Nutricionistas quer fazer um levantamento da criação de serviços de nutrição em todas as instituições de saúde, definida há um ano pelo Governo, e diz que o rácio destes profissionais no SNS continua a ser muito curto.

Em declarações à Lusa a propósito da publicação, há um ano, de um diploma que definia a criação de serviços de nutrição em todas as instituições de saúde, a bastonária da Ordem dos Nutricionistas, Alexandra Bento, diz que a Ordem quer fazer um levantamento, em conjunto com os profissionais que estão à frente destes serviços, para avaliar e, eventualmente, melhorar.


"Não temos dúvidas de que a criação de um serviço de nutrição em cada instituição do Serviço Nacional de Saúde (SNS) é uma mais valia para a saúde da população. Há ganhos em saúde efetivos com a otimização da alimentação e da nutrição para os utentes", afirma Alexandra Bento, frisando que a Ordem quer, no entanto, "ir mais além".

"Queremos ver o que temos no terreno, quais são as práticas e também desencadear processos de melhoria continua", defende.

A responsável diz não ter dúvidas de que o modelo criado "permite rentabilizar e otimizar recursos, centralizando todos os nutricionistas (...), uniformizando procedimentos e boas práticas", defende Alexandra Bento, lembrando que "os ganhos em saúde estão nos serviços que funcionam com eficácia".

"Só com mais nutricionistas no SNS se aumenta a eficácia", sublinha a bastonária, para quem o rácio destes profissionais continua a ser muito curto.

"Este rácio complica a saúde de quem precisa dos serviços de um nutricionista" diz Alexandra Bento, recordando que, para a Ordem, o rácio ótimo seria de um profissional para cada 20.000 utentes, o que implicaria ter cerca de 500 nutricionistas nos cuidados de saúde primários, quando atualmente há pouco mais de 100.

"É muito insuficiente. E nos cuidados hospitalares deveríamos ter um para cada 50 camas e estamos muito longe destes números. Assim é difícil garantir a otimização da alimentação e nutrição nos utentes do SNS", acrescentou.

Para debater e analisar a criação e o funcionamento destes serviços, a Ordem dos Nutricionistas promove hoje no Porto o seminário "Serviços de nutrição nos serviços de saúde".



Fonte: Sábado, online, 08 de julho de 2019